Total de visualizações de página

domingo, 7 de maio de 2017

Atlético de Itapimirim Campeão Capixaba de 2017


 Agradecimento:
Marcos Barcelos



O dia 6 de maio de 2017 já estava marcado para fazer história para Atlético de Itapemirim ou Doze, no Estádio Sumaré, em Cachoeiro. Os dois clubes até então não sabiam o que era levantar uma taça, ainda mais sendo a do torneio mais importante do Espírito Santo.
De um lado, estava o Galo da Vila, a sensação do Capixabão 2017, que chegou à final de forma invicta. Foram sete vitórias e cinco empates, 23 gols marcados e apenas nove sofridos. Melhores ataque e defesa do torneio, o time de Zé Humberto é um time bem posicionado no esquema 4–5–1 e possui bom toque de bola.
Do outro lado, era o Dozão da Massa, a surpresa do campeonato. O time começou como candidato fortíssimo ao rebaixamento, começou surpreendendo a todos, passou por um W.O. contra o Tupy, mas seguiu firme e forte no Capixabão. Tirando o jogo contra o Índio Guerreiro, a equipe só havia perdido uma partida, justamente contra o Atlético. O time de Orlando da Hora é bem veloz e precisava superar o favoritismo do rival.
O primeiro tempo das duas equipes foi bem longe de tudo o que foi descrito. O público no Sumaré testemunhou uma etapa com poucas jogadas perigosas. Muito porque Galo e Dozão tiveram que jogar de forma diferente do que costumam fazer. O Atlético esperava mais o adversário em seu campo de defesa e buscava os contra-golpes. Já o Doze teve que ir para cima, pois o empate não servia.
Mas na segunda etapa, o jogo ganhou muito em emoção. Com três minutos de jogo, a primeira grande chance da partida esteve nos pés de Wendel, do Atlético-ES. Ele invadiu a área e cruzou a bola, que foi em direção ao “teto” do gol de Robson Bahia. Dois minutos depois, Kleber Viana acertou a trave do Doze, após um cruzamento feito por Wendel.
Aos 11 minutos, o Galo desperdiçou uma grande chance em um contra-ataque puxado por Wendel. Ele fez o passe para Rodolfo, que bateu mal na bola, nas mãos de Robson Bahia. O castigo veio um minuto depois: em bela cobrança de falta, o lateral-direito Cássio abriu o placar para o Dozão.
Se o segundo tempo havia começado melhor, ganhou ainda mais emoção com o gol. O Atlético alugou o meio-campo em busca do empate. O Doze quis aproveitar a vantagem para tentar jogar no seu estilo, em velocidade.
Mas o Galo não deu sopa para o azar. Aos 22 minutos, Wendel bateu escanteio, a bola desviou em Cássio e sobrou para Marcos Felipe, livre, para marcar. O árbitro Dyorgenes Padovani chegou a marcar impedimento, mas após conversa com o bandeira, confirmou o gol: 1 a 1 no Sumaré.
O empate dava o título para o Atlético-ES, mas eles queriam levantar a taça em grande estilo. Aos 29, Paulinho cruzou na linha de fundo e o zagueiro Léo Breno cortou com a mão. Pênalti marcado e batido aos 31, por Wendel. Bola para um lado, goleiro para o outro: 2 a 1. Com esse gol, Wendel se tornou artilheiro do Capixabão com seis gols, ao lado de Márcio Carioca, ex-Rio Branco.
O Doze perdeu duas grandes chances que poderiam reverter a situação. Aos 41, Vitinho bateu cruzado, mas Kleber Viana tirou na pequena área. E aos 45, Victor cabeceou e Ranule fez grande defesa. No rebote, Marcone finalizou e o goleiro fez milagre. Fim de papo e o Atlético se consagrou Campeão Capixaba pela primeira vez em sua história e de forma invicta.
Junto com o título, vieram as vagas para a Copa do Brasil e para o Brasileirão da Série D em 2018. Agora o time deve focar na Copa Espírito Santo, que começa em julho. Já o Doze vai parar suas atividades em 2017 e volta apenas no Capixabão 2018.
Parabéns, Atlético de Itapemirim!
Atlético de Itapemirim 2x1 Doze — Final Capixabão 2017, Jogo de Volta
Estádio: Sumaré, Cachoeiro de Itapemirim-ES
Árbitro: Dyorgenes Padovani
Atlético-ES: Ranule; Paulinho, Kleber Viana, Rhayne e Marcos Felipe; Araruama, Waldir (Gaúcho), Zizu e Wendel; Weliton (Luan Macaé) e Rodolfo. Técnico: Zé Humberto.
Doze: Robson Bahia; Cassio, Joaquim (Mendonça), Léo Breno e Paulo Vitor; Vitor, Deivid (Vitinho), Marcone e Balbino, Chiquinho e Maycon (Zé Carlos). Técnico: Orlando da Hora.
Gols:
Segundo Tempo: Cássio (Doze), aos 11; Marcos Felipe (Atlético-ES), aos 22; Wendel (Atlético-ES), aos 31.

História


Clube Atlético Itapemirim

Clube Atlético Itapemirim, (conhecido apenas por Atlético e cujo acrônimo é CAI) é um time de futebol brasileiro sediado na rua Argentino Fonseca, da cidade de Itapemirim, estado do Espírito Santo.

Fundado em 5 de dezembro de 1965 por um grupo de torcedores do galo mineiro, tem como suas cores tradicionais o preto e o branco e tem como mascote um galo.
O Clube Atlético Itapemirim foi fundado em 05 de dezembro de 1965 em Itapemirim por torcedores mineiros que vieram trabalhar no novo Banco do Brasil que seria inaugurado no município na década de 50, apaixonado pelo futebol e pelo botafogo, o carioca José Olívio Soares junto com os novos funcionários mineiros do novo banco, fundaram um time de futebol no município de Itapemirim, inicialmente o desejo de José Olívio era que o novo clube levasse em seu peito o escudo do glorioso carioca, porém no novo banco a maioria eram torcedores do galo mineiro, então ficou decidido que o escudo seria a do Atlético Mineiro, portanto sendo que as cores do time mineiro eram as mesmas do Botafogo, José Olívio acabou concordado, assim surgiu o Clube Atlético Itapemirim.

Na maior parte de sua história o Atlético Itapemirim participou de diversos campeonatos regionais, citadinos e torneios amadores, como o Sulino o principal torneio do sul do estado no qual o galo da vila foi campeão três vezes em 2006, 2007 e 2010.

Em 2011 o Atlético Itapemirim deixa de ser um time amador e se torna um time de futebol profissional filiado a federação capixaba de futebol (FES) e a confederação brasileira de futebol(CBF) , participando assim pela primeira vez em uma competição profissional, o campeonato Capixaba Série B de 2011.

Após a disputa de 2011, onde o Atlético Itapemirim ficou em 5º lugar, o Galo da Vila retorna em 2014 a competição estadual em busca de uma inédita classificação a primeira divisão do Capixaba de 2015.
O Atlético Itapemirim consegue montar um time competitivo. Em um dos campeonatos da segunda divisão capixaba mais equilibrado dos último anos o Atlético consegue assegurar uma das duas vagas de acesso para série A do Capixaba de 2015, desbancando times favoritos e tradicionais do Espírito Santo como o Rio Branco A.C. e o Serra F.C.. Em um campeonato bastante acirrado o Atlético Itapemirim ficou com o vice-campeonato, com o mesmo 11 pontos que o Sport Capixaba (campeão) no quadrangular final só perdeu o titulo nos saldos de gols.

Fonte: Site
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário